Concelhos

Os ritmos do Brasil em mais “Uma Dança por Mês” no cineteatro

pub

As danças urbanas voltam à sala de ensaios do Cineteatro António Lamoso, em mais uma iniciativa “Uma Dança por Mês”, do Ballet Contemporâneo do Norte. Em abril, o país em foco é o Brasil, com o dançarino Renann Fontoura a fazer um “pequeno paralelo entre o hip-hop e o funk”.

Integrada no programa €UROTRA$H, a iniciativa “Uma Dança por Mês… Europa Endlos”, formação orientada pelo Ballet Contemporâneo do Norte (BCN), volta ao Cineteatro António Lamoso, em Santa Maria da Feira, para mais uma proposta na área das danças urbanas. No dia 13 de abril, pelas 10h00, o dançarino Renann Fontoura faz uma breve introdução à cultura hip-hop e ao funk, com foco na coexistência de ambas no cenário urbano brasileiro.

A partir da bagagem das danças urbanas americanas, a sessão será dividida em três partes: introdução à dança; ensino de alguns passos fundamentais da dança hip-hop com apoio de músicas que unem influências do funk carioca, do hip-hop e da música eletrónica; e aprendizagem de uma sequência coreográfica. A participação é gratuita, destinada a pessoas dos 13 aos 65 anos, com ou sem experiência em artes, mas exige inscrição através do e-mail bcnproducao@gmail.com.

As próximas sessões do ciclo de Contemporâneo, que agora se inicia, terão lugar em setembro e outubro, dando palco a países como Angola e Cabo Verde. O objetivo é abordar paradigmas coreográficos oriundos de países de língua oficial portuguesa, cujas mais recentes manifestações coreográficas e musicais têm inspirado, nas duas últimas décadas, a cultura pop/hip-hop mundial, o funk brasileiro, o kuduro e o batuku cabo-verdiano.

Também integrado no €UROTRA$H, “ÁGORA | ἀγορά” é um desafio do BCN a coreógrafos e criadores para “desenharem” propostas, pensadas para um espaço não-convencional, nomeadamente a antiga Igreja de S. João de Ver, apresentadas ao público nos dias 13 e 14 de abril, pelas 21h30, refletindo sobre uma ou mais ideias de Europa e questionando as práticas artísticas e de investigação dos criadores (Jorge Gonçalves, Joclécio Azevedo e a feirense Catarina Campos) sobre a dança enquanto prática e pensamento.

Ainda no dia 13, às 17h30, no mesmo local, realiza-se nova conversa “Café Central”, com entrada livre, em que a investigadora Eduarda Neves abordará “O homem de rebanho, na Europa”, a partir da obra de Friedrich Nietzsche “Para além do bem e do mal”, equacionando as representações que temos da Europa e as que queremos vir a ter.


Palavras-chave: ,

Concelhos - Abril 3, 2019

Relacionados

Já cheira a Imaginarius. De um globo gigante, sairão atores, dançarinos, trapezistas e músicos. Memórias de infância em todo o seu esplendor

O próximo Imaginarius dá as boas-vindas ao mundo imaginário. Imaginar um globo gigante de onde exalam atores, dançarinos, trapezistas e músicos, com várias projeções e momentos de pirotecnia. O desafio é entrar no espetáculo repleto de energia. Tudo preparado para a produção “Globe”? O encontro está marcado para os dias 24 e 25 de maio, […]

Mais de 700 bailarinos de todo o mundo competem no Europarque

O Concurso Internacional de Bailado (CIB) do Porto 2019 vai realizar-se entre os dias 4 e 7 de abril, no Europarque, em Santa Maria da Feira. A 9.ª edição do concurso contará com a participação de mais de 700 bailarinos de todo o mundo. O principal objetivo deste concurso é premiar e apoiar jovens bailarinos […]

O que nos une ao Brasil. Festival de Cinema Luso-Brasileiro tem mais sessões de 7 a 14 de abril. Andrea Tonacci será homenageado na Biblioteca da Feira

A 22.ª edição do Festival de Cinema Luso-Brasileiro de Santa Maria da Feira cresce em número de sessões, mantendo a habitual competição de curtas e longas metragens e prestando, este ano, homenagem ao realizador brasileiro Andrea Tonacci, ícone da sétima arte das terras de Vera Cruz. O cineasta faleceu em 2016. De 7 a 14 […]