Política

CDS quer mais no turismo feirense

pub

O CDS de Santa Maria da Feira está preocupado com o “estado da arte” do turismo do concelho. À boleia da participação do Município na BTL – Feira de Turismo de Lisboa, o partido recorda que tem apresentado propostas na Assembleia Municipal, entre elas está a criação de mapas pedestres com interesse ecológico que foi aprovada. “Mas o trabalho da câmara municipal, no sentido de desenvolver infraestruturas de apoio ao turismo continua escasso”, refere, em comunicado.

O CDS-PP feirense defende que é necessário dinamizar os monumentos do município e fornecer informação acerca desse património aos visitantes. “Continua a ser necessário dinamizar a freguesia da Feira, além dos seus eventos caracterizadores, mas também as restantes freguesias com potencialidades turísticas, e nesse sentido igualmente apostar numa rede de transportes públicos que permita a deslocação intramunicipal da população, o que beneficiaria a própria população feirense no recurso ao novo passe social aprovado pelo Governo, e apostar num interface de transporte que permita salvaguardar a segurança rodoviária aquando da receção de autocarros turísticos”, sustenta.

O partido está também apreensivo com as zonas industriais do concelho e destaca “a falta de articulação destas áreas com determinados eixos viários estruturantes, os quais poderiam se traduzir num renovado interesse das empresas por esses terrenos, uma vez que estas localizações passariam a permitir acessibilidades conetoras da empresa com localizações como o Porto e Aveiro”.

“Verifica-se, por exemplo, o caso prático da zona industrial de Souto e Mosteirô, que pode ser caracterizada apenas como zona industrial de um país em desenvolvimento, uma vez que a zona está isolada, marcando-se pela falta de ordenamento do território, pela falta de acessibilidades e de infraestruturas de apoio ao desenvolvimento da zona industrial”, adianta, em comunicado. O CDS quer saber “quando serão estes espaços repensados de forma a valorizar os terrenos aí localizados, e dessa forma atrair investimento privado para o município, que se traduzirá na criação de novos postos de trabalho”.


Política - Março 21, 2019

Relacionados