Política

O que se passa na edufeira?

pub

O BE refere que a Câmara de Santa Maria da Feira lançou, no final do ano de 2017, a plataforma edufeira.cm-feira.pt. Uma plataforma que surge através da Editora Lusoinfo Multimédia, financiada pelo Programa Norte 2020, Portugal 2020 e Fundo Social Europeu. Paralelamente ao desenvolvimento desta plataforma, foram também adquiridos computadores e tablets à empresa JP Sá Couto, através do mesmo tipo de financiamento.

O partido sustenta que nas escolas do 1.º ciclo foram entregues 26 tablets, isto é, 26 tablets por escola, para serem usados pelos alunos em determinadas atividades, nomeadamente na utilização da referida plataforma, que terá como objetivos principais proporcionar um ambiente de aprendizagem tecnologicamente rico e apelativo, facilitar a aprendizagem, promover o trabalho colaborativo e a partilha de ideias entre todas as escolas do município.

No fundo, esta plataforma funciona como uma “rede social” inter-escolas com um interface em tudo semelhante às redes sociais mais conhecidas com mural, publicações, gostos, etc, e algumas atividades pedagógicas de conteúdo curricular e local.

“No entanto, a maioria das escolas do 1.º ciclo não possuem uma infraestrutura de rede de Internet com capacidade de suportar o acesso, em simultâneo, de todos os tablets, anulando deste modo todo e qualquer objetivo do recurso aqui apresentado”, garante o BE. “Lamenta-se que, embora exista um interesse inicial, idealmente e teoricamente promotor de uma educação tecnológica e de qualidade, na prática não tenham sido acauteladas as condições necessárias para que se implemente o projeto de uma forma eficaz e bem sucedida”.

“Pelo contrário, acontece que a aplicação se torna um problema uma vez que a comunidade escolar, por um lado, é incentivada a usar a plataforma, de modo a que o investimento seja justificado, e, por outro lado, as condições necessárias não sejam disponibilizadas para que se concretize esse uso. De salientar que, sendo um programa financiado com fundos comunitários, deveriam ser garantidas todas as condições para a implementação deste mesmo programa”, acrescenta

Os deputados municipais do BE querem explicações urgentes por parte da autarquia e, por isso, já questionaram o presidente da câmara feirense através de um requerimento.

Foto: Esquerda.net


Palavras-chave: ,

Política - Março 15, 2019

Relacionados

BE diz que acordo é “um insulto”

O BE, que já apresentou uma participação no Ministério Público contra o contrato entre a Câmara de Santa Maria da Feira e empresa P. Parques, contesta o acordo extrajudicial que foi aprovado na última reunião de câmara. A dívida da concessionária do estacionamento ronda os 849 mil euros por mais de oito anos de incumprimento. O […]

Todos de acordo. Santa Maria da Feira deve voltar a ter 31 freguesias

Aprovada por unanimidade. A moção apresentada pelo BE pela reposição das freguesias extintas do concelho de Santa Maria da Feira foi consensual na última Assembleia Municipal. Antes da reorganização administrativa, o território feirense tinha 31 freguesias, depois das alterações encolheu para 21. “Este foi um processo desastrado e desastroso que importa reverter. É hoje inequívoco […]

“O Bloco de Esquerda está preparado para ser Governo”

Moisés Ferreira, Pedro Filipe Soares, Nelson Peralta e Salomé Ventura são os quatro aveirenses eleitos para integrar a Mesa Nacional do Bloco de Esquerda eleita na IX Convenção do Partido que terminou este domingo em Lisboa. Uma convenção onde o Bloco assumiu estar preparado para ser Governo e para assumir áreas chave para o país. […]