Política

Quantos edifícios são acessíveis?

pub

A CDU quer saber quantos e quais os edifícios da responsabilidade da Câmara de Santa Maria da Feira que não cumprem as normas de acessibilidade. E em quais edifícios e em que prazos está prevista intervenção para a regularização das regras de mobilidade. O partido enviou um requerimento à Assembleia Municipal. Filipe Moreira, o único eleito no órgão deliberativo, lembra o que aconteceu na última Assembleia Municipal.

“Questionei diretamente o senhor presidente da Câmara Municipal, no passado dia 1 de fevereiro na Assembleia Municipal, tendo o mesmo respondido de forma irónica que: ‘Todos os edifícios municipais são acessíveis, não são é acessíveis para toda as pessoas”.

“O município de Santa Maria da Feira tem graves problemas no respeitante à acessibilidade e mobilidade, nomeadamente nos espaços públicos. Dando-se como exemplo os passeios para peões que na maioria da extensão do concelho não cumpre os 1,5 metros de largura, acrescentando-se a falta de guias rebaixadas para acesso e de
infraestruturas que bloqueiam o acesso a todos”, lê-se no requerimento. “Este é apenas um exemplo, por diversas vezes trazido à discussão pública por diversos partidos políticos, ao qual poderia acrescentar-se a ausência de semáforos sonoros, rampas de acesso, paragens de autocarro adequadas, lavabos acessíveis e o próprio acesso a espaços onde se realizam atividades politicas como o salão nobre o anfiteatro da Biblioteca Municipal onde geralmente ocorrem as reuniões da Assembleia Municipal”, acrescenta.

 


Política - Fevereiro 10, 2019

Relacionados