Concelhos  ·  d'outras

Congresso internacional de Cultura Castreja de 15 a 17 de novembro na Biblioteca

Santa Maria da Feira será o centro da cultura castreja de 15 a 17 de novembro com a realização do ‘Congresso Internacional de Cultura Castreja: Identidade e Transições’, na Biblioteca Municipal e no Museu Convento dos Lóios. O evento reunirá distintos arqueólogos e investigadores de Portugal e de Espanha que, ao longo de três dias, irão refletir sobre os desafios atuais e a apontar possíveis novas abordagens na investigação da Cultura Castreja.

Considerando o assinalável progresso do conhecimento sobre a Cultura Castreja do Noroeste Peninsular nas últimas quatro décadas, fundamentalmente resultante das inúmeras escavações arqueológicas em Castros, surge a necessidade de se efetuar um balanço do trabalho desenvolvido, de se relançar a discussão sobre temas mais problemáticos e de apontar novas abordagens na investigação da Cultura Castreja.

Neste sentido, o Município de Santa Maria da Feira, enquanto tutela do Castro de Romariz, associa-se à Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP) na organização do ‘Congresso Internacional de Cultura Castreja: Identidade e Transições’.

O evento será dividido em nove sessões que decorrerão ao longo dos três dias.

‘Cronologias’, ‘Urbanismo e Arquitetura’ e ‘Exploração de Recursos Naturais: a Mineração’ serão as temáticas abordadas no primeiro dia do congresso, marcado pela sessão de abertura, presidida por Emídio Sousa, presidente da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira, e pela intervenção de Francisco Calo Lourido, professor emérito da Universidade de Santiago de Compostela (USC) que se tem dedicado à investigação da cultura castreja e que dissertará, neste congresso, sobre “A Cultura Castrexa desde Guimarães (1880) ata a Feira (2018)”.

No dia seguinte, dia 16, a discussão será em torno das temáticas ‘Os Territórios Vizinhos do Noroeste’ e ‘A Conquista do Noroeste e a Transição para o Mundo Romano (I)’, culminando com o workshop de ‘Cerâmica Castreja: transições’, com Teresa Soeiro, da FLUP, e Josefa Rey Castiñeira, da USC.

O último dia do congresso será assinalado pela realização de duas sessões temáticas: ‘As Arqueociências no Noroeste’ e ‘A Conquista do Noroeste e a Transição para o Mundo Romano (II). Destaque ainda para a intervenção de Maria Dolores Dopico, da USC, e para a cerimónia de encerramento.

Três dias de debate e reflexão sobre a Cultura Castreja, onde estarão presentes notáveis arqueólogos e investigadores que darão certamente um contributo decisivo para a divulgação, estudo e estado de conservação dos Castros no noroeste da Península Ibérica.


Concelhos  ·  d'outras - Novembro 9, 2018

pub

Relacionados