Operação da GNR ataca jogo ilícito através de plataformas online e passa por Esmoriz

pub

“Shadow Game” é o nome de código de uma operação da GNR à escala nacional que foi desencadeada às 6h00 de ontem, terça-feira, e que visa o combate ao jogo ilícito através de plataformas online e jogos de fortuna ou azar. Esta operação, que envolve um total de 677 militares, compreendeu durante o dia de ontem 146 buscas domiciliárias e não domiciliárias, em todo o território nacional, incluindo num condomínio privado em Esmoriz, mas prosseguiu esta quarta-feira.

Segundo um comunicado da GNR, foram ainda realizadas seis buscas domiciliárias no Luxemburgo, que visaram suspeitos portugueses fixados naquele país, no âmbito de um pedido de cooperação judiciária internacional e ainda estaria em curso durante esta quarta-feira, contando com o apoio da Europol, quer em território nacional, quer no Luxemburgo.

Ainda segundo aquele comunicado, estas ações visaram “a organização responsável pela conceção, distribuição e exploração de plataformas de jogo online, desde os responsáveis pela sua conceção e fabrico, aos distribuidores e exploradores do jogo ilícito, incidindo sobre domicílios, armazéns e escritórios, entre outros locais públicos e privados, onde a prática criminal era desenvolvida”.

As diligências realizadas durante o dia de ontem conduziram a 19 detenções em território nacional e uma no Luxemburgo, bem como a apreensão de cerca de 320 mil euros em numerário, 49 veículos de média e alta gamas, cerca de 3 mil dispositivos de acesso ao jogo ilícito, entre os quais computadores, tablets, máquinas de jogo e periféricos; quatro servidores,10 armas de fogo e diversas munições.

Atendendo à especificidade e complexidade da investigação, participam na operação peritos forenses da EUROPOL, da Autoridade Tributária e Aduaneira e da estrutura de Investigação Criminal da GNR, bem como técnicos do Instituto de Regulação e Inspeção de Jogos.
Os detidos começaram hoje a ser presentes no Tribunal Judicial da Comarca de Setúbal, para primeiro interrogatório judicial, estando indiciados pela prática dos ilícitos criminais de associação criminosa, fraude fiscal e exploração ilícita de jogos, entre outros.

Atendendo a que a operação ainda se encontrará em curso, os seus resultados finais só deverão ser apresentados esta sexta-feira.

Desencadeada pela Unidade de Ação Fiscal da GNR, em conjunto com o Comando Territorial de Setúbal e reforçada com forças da Unidade de Intervenção e dos Comandos Territoriais de Aveiro, Açores, Braga, Coimbra, Évora, Faro, Guarda, Leiria, Lisboa, Porto, Viana do Castelo, Vila Real e Viseu, a operação culmina uma investigação que decorre há cerca de um ano.


- Novembro 7, 2018

Relacionados