Economia

Corticeira Amorim aumenta lucros

pub

A Corticeira Amorim, com sede em Mozelos, Santa Maria da Feira, aumentou os lucros do terceiro trimestre e anunciou a convocação de uma assembleia geral extraordinária para aprovar o pagamento de um dividendo extraordinário através da distribuição de reservas, no valor de 8,5 cêntimos por acção, num total de 11,3 milhões de euros.

A empresa fechou os primeiros nove meses deste ano com um resultado líquido de 58,6 milhões de euros, valor que representa um crescimento de 4% face aos 56,4 milhões de euros registados no período homólogo.

As vendas aumentaram 9,8% para 583,8 milhões de euros e o EBITDA cresceu 2,9% para 108,4 milhões de euros.

Em comunicado à CMVM, a Corticeira Amorim salienta que, ao contrário do efeito negativo registado no primeiro semestre, “o impacto da desvalorização cambial do dólar foi quase nulo no terceiro trimestre”. E destaca todas as Unidades de Negócios (UN) que “registaram crescimento de vendas nos primeiros nove meses do ano, com a excepção da UN Revestimentos”, sendo que a UN Aglomerados Compósitos “conseguiu inverter o decréscimo de vendas registado no primeiro semestre”.

A Corticeira Amorim chegou a Setembro com uma dívida líquida de 104,7 milhões de euros, o que representa um crescimento face aos 92,8 milhões de euros registados no final de 2017, “que se deveu essencialmente às aquisições realizadas recentemente (Bourassé, Sodiliège e Elfverson) e a um acréscimo do investimento em Capex e fundo de maneio”. Devido a este aumento, os encargos financeiros totais registaram um “ligeiro acréscimo”.

Perante estes resultados e o nível dos capitais próprios da empresa, a Corticeira Amorim decidiu convocar uma AG para 3 de Dezembro, que tem como principal ponto da ordem de trabalhos a aprovação de uma distribuição de reservas de 11,3 milhões de euros.

Se for aprovada, os accionistas vão receber um dividendo extraordinário de 8,5 cêntimos por cada acção. Uma remuneração que tendo em conta a actual cotação, representa uma rendibilidade ligeiramente inferior a 1%. Este dividendo soma aos 18,5 cêntimos por acção que os accionistas receberam no final de Abril.

No comunicado com a apresentação das propostas que vai levar à AG, a Corticeira Amorim explica que decidiu avançar com esta remuneração extraordinária devido ao “sólido crescimento da actividade e dos resultados ao longo dos últimos exercícios, bem como às perspectivas para o corrente exercício”, que “vêm permitindo à Corticeira Amorim gerar ‘cash flow’ crescentes”.


Economia - Novembro 7, 2018

Relacionados