“Sangue de Portugal” – espetáculo “made in Feira” todas as noites na Viagem Medieval junto ao rio

pub

Os espetáculos de grande formato são das principais atrações da Viagem Medieval. O último da noite, às 23h30, é aquele que mais público atrai à beira rio para ver cavaleiros, donzelas, exércitos, catapultas que lançam de bolas de fogo, lutas de espada, arcos que disparam flechas, escudos que protegem e cenários que mudam em poucos segundos, com recurso à tecnologia.

Diz quem anda nestas coisas há mais de uma década que uma Viagem Medieval será “extraordinária” ou apenas “boa” para o visitante, consoante a sua reação a este espetáculo.

É por isso que a organização, todos os anos em setembro começa a esboçar o espetáculo da edição seguinte. Ana José Oliveira, diretora do Museu do Convento dos Lóios, apresenta um conjunto de momentos importantes do período a retratar e a companhia Décadas de Sonho que há sete anos encena e ajuda a produzir, escolhe aquele que, na sua perspetiva, mais se ajusta.

Para a edição deste ano foi selecionado “Sangue de Portugal”, que retrata a história da guerra civil iniciada por D. Pedro contra o pai D. Afonso IV, cujos conselheiros sugeriram a morte de Inês, amada de Pedro.

É um processo criativo made in Feira. A Décadas de Sonho tem mais de 15 edições de Viagem Medieval no seu palmarés, as sete últimas com a responsabilidade de encenar o espetáculo de grande formato que fecha cada noite do evento. Paulo Santos é o mentor da companhia que, para além da Viagem, participa em múltiplas recriações históricas espalhadas pelo país.

Começou por explorar o espaço do tiro com arco, até que a organização lhe pediu para participar num Assalto ao Castelo com um grupo de arqueiros. “Gostámos tanto da experiência que, a partir daí, fomos participando como arqueiros em outras recriações históricas pelo País. A determinada altura começámos a ajudar na recriação histórica, não apenas como participantes. A primeira vez foi em Itália, em Finale Ligure, a convite de uma companhia de teatro, para ajudar a montar um espetáculo militar”, conta Paulo Santos, que tem as suas raízes no norte do Concelho. E a partir daí não parou. Está há sete anos em Marvão, está nas recriações históricas nas ruínas de Conimbriga, no Festival Medieval de Elvas e em muitos outros eventos.

Colocar de pé um espetáculo como “Sangue de Portugal”, que pode ser visto todos os dias, a partir das 23h30, no Terreiro das Guimbras é um enorme desafio. Estão envolvidas cerca de 150 pessoas. Cerca de uma centena são atores e figurantes. Depois há mais de uma dezena de cavalos, falcoaria, cão de ataque e uma equipa criativa que pensa tudo ao pormenor. “Só comunicar com todas as pessoas envolvidas, seja por e-mail ou por mensagem, é uma pequena aventura”, exemplifica. ,

Sete anos de experiência, que permitiram desenvolver competências, aumentar a qualidade do espetáculo, em múltiplas vertentes. Até nos cenários! Hoje, há castelos e torres que aparecem do nada, através de técnicas desenvolvidas nos últimos três anos e com recurso à tecnologia.

“Somos um produto da Viagem Medieval e com muito orgulho”, afirma Paulo Santos, que mobiliza muitos outros grupos do Concelho que desenvolveram competências na animação de eventos com estas características para as recriações históricas em que está envolvido em diferentes pontos do país.

 

Sangue de Portugal, como de cinema se tratasse

Ver um espetáculo de grande formato no Terreiro das Guimbras é como assistir a um filme no cinema. “Neste caso é ao vivo. E uma experiência fantástica. Pode ouvir-se o cavalgar dos cavalos, como se estivéssemos ao pé, é uma experiência sensorial tão forte que não se pode ficar em casa”, diz. E a procura do público é tanta, que a organização resolveu este ano instalar uma bancada com 580 lugares sentados junto ao rio para o espetador poder assistir ao espetáculo com mais conforto e de forma gratuita.

Atendendo às elevadas temperaturas que se têm feito sentir ao longo do dia, a organização introduziu algumas alterações na programação desta sexta-feira.

 

 

Foto em destaque (recriação): Viagem Medieval em Terra de Santa Maria


- Agosto 3, 2018

Relacionados