Política

PSD quer discutir declínio demográfico

pub

A deputada do PSD Susana Lamas propôs “um amplo debate” para combater o declínio demográfico. Intervindo no plenário da Assembleia da República, a parlamentar social-democrata desafiou os demais partidos a “contribuir, a participar neste debate mais alargado”.

“Para o PSD, o tema da infância e natalidade é demasiado sério para ficarmos retidos no passado, sem discutir o presente”, vincou Susana Lamas numa intervenção no debate sobre políticas para aquelas áreas, acusando o PS de insistir “em reviver o passado” e reforçando que o seu partido está “muito mais preocupado com o futuro”.

Sublinhando que “um dos principais desafios que se coloca à sociedade portuguesa é o desafio demográfico”, a deputada, e líder da Concelhia de São João da Madeira do PSD, trouxe à discussão aquilo a que chamou um desafio do seu partido, ou seja, “um amplo debate, construtivo, sem decisões fechadas, em espírito de compromisso, para ser feito um trabalho sério, conjunto, consistente sobre o combate ao declínio demográfico”.

Para Susana Lamas, o diagnóstico é “conhecido” e “consensual”, pelo que defendeu que o Parlamento deve “avançar ao encontro das soluções”. A deputada disse, mesmo, que “não podemos adiar mais”, pois “é o futuro do país que está em causa e a nossa responsabilidade para com os portugueses exige-nos dar uma resposta”.

Na sua intervenção no plenário, Susana Lamas recordou que o PSD apresentou um pacote de medidas, que admitiu terem um custo. Deixou, no entanto, no ar, a questão “quanto custa nada fazer?”. E deu a resposta: “nada fazer custa mais de 100 mil emigrantes por ano, custa crianças sem desenvolvimento cognitivo, custa a não renovação geracional e coloca em causa a sustentabilidade da Segurança Social”.

A parlamentar criticou ainda a apresentação de “medidas avulsas, sem as enquadrar num debate mais alargado”, que disse não resolver o problema, uma vez que “é necessária estabilidade, são necessárias políticas de longo prazo, e é por isso que falamos em convergência, pois as soluções encontradas devem perdurar para além de uma legislatura”.

“Para o Partido Socialista a solução do problema está única e principalmente na captação de 75 mil imigrantes por ano? É esta a solução que apresentam? É este o instrumento que consideram mais importante para superarmos o défice demográfico? Captar imigrantes pode ser parte da solução, mas não pode ser nem o único nem o instrumento mais importante!”, concluiu.


Palavras-chave: , , , ,

Política - Junho 30, 2018

Relacionados

Abstenção do PS na requalificação da Secundária de Esmoriz “fura” unanimidade no Parlamento

A abstenção dos deputados do PS eleitos pelo círculo de Aveiro na votação de projetos de resolução do PSD, BE, PEV, PCP e CDS na Assembleia da República que recomendavam ao governo a requalificação da Escola Secundária de Esmoriz desencadeou uma escalada de argumentos no espaço público à margem do Parlamento. Os deputados socialistas consideram […]

Armando Oliveira lidera PSD de Milheirós de Poiares

Encabeçando lista única às eleições para o núcleo residencial do PSD/Milheirós de Poiares, Armando Oliveira foi eleito novo presidente da Comissão Política daquela estrutura. O ato eleitoral registou “forte afluência”, naquilo que os social-democratas consideram ser “bem demonstrativo da vitalidade da estrutura nesta freguesia do concelho de Santa Maria da Feira”. Encarando o momento “com […]

PSD insiste na “Feira-Arouca”

A deputada do PSD Helga Correia defendeu esta terça-feira uma “discriminação positiva, do ponto de vista rodoviário” para o concelho de Arouca. Numa audição o ministro do planeamento, a parlamentar social democrata alertou para a importância da conclusão da via que liga a sede daquele concelho aos grandes eixos viários, nomeadamente a A32 e a […]