Recurso a cabras na manutenção da floresta é “mais eficaz, económico e ecológico”

pub

As cabras são um meio eficaz, mais económico e ecológico de manter a floresta limpa. É a conclusão principal da experiência piloto desenvolvida ao longo de três meses pela engenheira zootécnica Ana Catarina Fontes, que colocou o seu rebanho de 26 cabras anãs a desbravar cerca de meio hectare dos terrenos envolventes à antiga fábrica Ajax, em Fiães, propriedade do Município.

A empreendedora fianense chegou à conclusão de que o recurso a cabras na limpeza florestal se revela mais eficiente nas operações de manutenção de terrenos que são sujeitos a uma primeira intervenção com maquinaria.

“Deve haver essa primeira intervenção com máquinas e, depois, a manutenção ao longo do ano com recurso a cabras. Isso faz com que este processo se torne muito mais barato porque não há necessidade de recorrer a maquinaria ao longo do ano. É muito mais ecológico, porque não há tantos gastos de combustível”, explicou Ana Catarina Fontes, durante a apresentação dos resultados da experiência desenvolvida com o apoio da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro.

Ao longo de 12 semanas, as 26 cabras “eliminaram cerca de 11 toneladas” de vegetação, alguma com mais de 1,70 metros de altura. Restaram os fetos jovens que, dada a sua “elevada toxicidade”, as cabras não os ingerem, mas que não representam qualquer risco do ponto de vista da proteção da floresta contra incêndios, porque contêm “mais de 80 por cento de humidade”.

Toda a operação foi monitorizada regularmente com recurso a medições e drones que permitiram avaliar o desempenho e análises à vegetação e ao solo. A experiência permitiu concluir que as cabras aumentaram o peso e que a qualidade do solo se torna “mais rico” com a sua presença.

 

Quando saiu esta regulamentação da limpeza dos terrenos, foram a correr limpar, por vezes de uma forma pouco controlada, e ainda não pararam para pensar que vai ter que ser feita mais do que uma vez ao longo do ano”,  alerta Ana Catarina Fontes, que desenvolveu a experiência num terreno municipal em Fiães

 

Ana Catarina Fontes (na imagem ao lado de Emídio Sousa, presidente da Câmara da Feira, e António Valdemar, presidente da Junta de Fiães) propõe-se agora transportar a sua experiência para um conceito de negócio na área da limpeza florestal e agrada-lhe começar a ser procurada por quem quer saber mais sobre o potencial das cabras sapadoras. “Parte tudo dessa sensibilização das pessoas para esta temática, porque, quando saiu esta regulamentação da limpeza dos terrenos, foram a correr limpar, por vezes de uma forma pouco controlada, e ainda não pararam para pensar que vai ter que ser feita mais do que uma vez ao longo do ano. A vegetação não é algo estático, vai crescendo ao longo do tempo e, passado alguns meses, estará exatamente como estava no primeiro dia, ou seja é necessária essa limpeza contínua”, refere a empreendedora. O seu modelo de negócio passa por propor, em vez do uso regular de maquinaria, uma solução de manutenção com recurso a cabras que além de “mais económico e ecológico” é também “mais eficiente”, porque conseguem aceder a terrenos muito inclinados, onde a maquinaria não chega.

O presidente da Câmara da Feira, Emídio Sousa, que apoiou a realização desta experiência, cedendo os terrenos da antiga fábrica da Ajax, revelou-se satisfeito com os resultados obtidos pela empreendedora, acreditando que “os particulares têm ao seu dispor uma ferramenta barata e, ao mesmo tempo, eficaz na limpeza dos terrenos”.


Palavras-chave: , , ,

- Junho 29, 2018

Relacionados

PS diz que modelo de apoio ao associativismo está em “falência”

O Partido Socialista considera que o subsídio atribuído, com o voto favorável do PS, ao Rancho As Florinhas de Caldas de São Jorge para a construção da sua sede revela a “falência” do Plano de Apoio aos Projetos Culturais (PAPC). A líder da bancada do PS no executivo municipal, Margarida Gariso, que defende um modelo […]

Presidente da República ligou a Emídio Sousa durante incêndio no centro histórico da Feira

O presidente da Câmara da Feira, Emídio Sousa, confessa a sua surpresa quando no domingo, por volta das 17h00, no meio da grande azáfama das operações de rescaldo do incêndio que deflagrou no centro histórico da cidade, recebeu uma chamada telefónica do Presidente da República. Marcelo Rebelo de Sousa tinha chegado da Rússia, onde assistiu […]

Feira subscreve carta no âmbito do Dia Internacional da Pessoa Refugiada

Santa Maria da Feira é um dos cinco municípios portugueses que subscreveram a Carta Aberta da Rede das Cidades Interculturais, que assinalou o Dia Internacional da Pessoa Refugiada. A Rede das Cidades Interculturais – iniciativa do Conselho da Europa – mobilizou 34 cidades em todo o mundo que, através de uma carta conjunta, veicularam a […]