Buscas na Câmara da Feira relacionadas com concurso de manutenção dos jardins do Europarque

pub

A Câmara de Santa Maria da Feira foi uma das autarquias objeto de buscas, esta quarta-feira, de manhã, pela Polícia Judiciária, no âmbito da operação Tutti-Frutti, desencadeada com uma investigação de uma alegada rede, constituída maioritariamente por militantes do PSD que visaria a adjudicação de contratos públicos a militantes do partido.

O presidente da Câmara da Feira, Emídio Sousa, confirmou a realização de buscas na autarquia,acrescentando que se relacionam com “a investigação a uma empresa de Carlos Eduardo Reis, ligado ao PSD, que ganhou um concurso público para a manutenção dos espaços verdes do Europarque”.

“Estiveram cá os inspetores, a mando do Ministério Público, e levaram um CD com todas as peças do processo do concurso público”, explicou o autarca, afirmando-se “totalmente confortável”.

“Desconheço completamente a pessoa em causa, nem sabia quem eram os donos da empresa, fiquei a saber hoje. Tem a ver com uma investigação que está a ser conduzida pelo Ministério Público de Lisboa e dado que a empresa tem um contrato connosco, está no código dos contratos públicos, os inspetores vieram cá e entregámos a documentação que nos pediram”, esclareceu.

A operação foi desencadeada de norte a sul do país e nos Açores e incluiu cerca de 70 buscas a câmaras, juntas de freguesia, instalações do PSD e do PS, empresas, escritórios de advogados e domicílios. Essas buscas envolveram a presença de três juízes de instrução, 12 magistrados do Ministério Público, peritos informáticos e financeiros e inspetores da Policia judiciária, num total de duas centenas de pessoas.

 

Tem a ver com uma investigação que está a ser conduzida pelo Ministério Público de Lisboa e dado que a empresa tem um contrato connosco, está no código dos contratos públicos, os inspetores vieram cá e entregámos a documentação que nos pediram”, esclareceu Emídio Sousa, presidente da Câmara da Feira.

 

De acordo com a mesma nota, ter-se-á apurado que um grupo de indivíduos ligados às estruturas de partido político, desenvolveram entre si influências destinadas a alcançar a celebração de contratos públicos, incluindo avenças com pessoas singulares e outras posições estratégicas.

O inquérito encontra-se em segredo de justiça e a investigação prossegue sob direção do Ministério Público na secção distrital do DIAP de Lisboa, com a coadjuvação da Polícia Judiciária.


Palavras-chave: , , ,

- Junho 27, 2018

Relacionados

Homem de 45 anos detido com 348 doses de haxixe e 11 de liamba

A GNR de Lourosa deteve, no último sábado, um homem de 45 anos por tráfico de estupefacientes, em Santa Maria da Feira. No seguimento de uma ação de fiscalização, os militares mandaram parar uma viatura e o seu condutor adotou um comportamento suspeito. A GNR detetou que o homem tinha na sua posse produto estupefaciente […]

Design do Imaginarius, de André da Loba, distinguido na Alemanha

O design do festival Imaginarius, assinado pelo ilustrador André da Loba para a edição de 2017, foi premiado com a distinção “winner” no concurso German Designs Awards, na categoria de “Excellent Communications Design Event”. A cerimónia de entrega dos prémios terá lugar em Frankfurt, na Alemanha, a 9 de fevereiro de 2019. O conceito criativo […]

Perlim regressa após três dias de pausa sem chuva nas previsões

Perlim, parque temático de Natal de Santa Maria da Feira, reabre as portas na Quinta do Castelo, para mais quatro dias de magia, depois de três dias de descanso do Pai Natal e dos outros “habitantes”. As previsões meteorológicas afiguram-se favoráveis para os próximos dias. O sol espreitará por entre algumas nuvens, mas a chuva […]