Concelhos

Desagregação da União de Freguesias de Lobão discutida em Assembleia

pub

A eventual desagregação da União de Freguesias de Lobão, Gião, Louredo e Guizande é o tema único de uma assembleia de freguesia agendada para sexta-feira, dia 15, pelas 21h00, no edifício do Centro Social S. Mamede, no Monte do Viso, em Guisande.

A reunião extraordinária do órgão deliberativo da União de Freguesias foi solicitada pela bancada do Partido Socialista, liderada por David Neves, que se propõe apresentar, discutir e submeter à votação uma moção sobre a reavaliação da reorganização administrativa das freguesias de Lobão, Gião, Louredo e Guisande.

O documento propõe que sejam efetuadas “todas as diligências para que, junto do Governo, da Assembleia da República, da Câmara Municipal e Assembleia Municipal, se desenvolvam os procedimentos necessários para restituir às populações as suas freguesias autónomas, a freguesia de Lobão, Gião, Louredo e Guisande”.

A bancada do PS, numa Assembleia de Freguesia de maioria social-democrata, explica que a moção decorre do programa do Governo onde consta a necessidade de “corrigir os erros da extinção de freguesias a régua e esquadro”, estabelecendo critérios objetivos que permitam às próprias autarquias aferir os resultados da agregação e corrigir os “casos mal resolvidos”.

Para os proponentes, a fusão de Lobão, Gião, Louredo e Guisande é um exemplo de uma agregação “não apoiada pela população e realizada sem atender às características do território em casa e sem atender às características demográficas, históricas e sociológicas das freguesias”.

É convicção deles que desta agregação não resultou a melhoria do serviço público aos cidadãos, nem garantiu o desenvolvimento de uma democracia de proximidade e maior participação, nem trouxe poupança para o Estado.

 

Proponentes da moção querem que Parlamento reanalise mapa das freguesias

Os socialistas consideram ainda que “uma verdadeira reforma administrativa só pode ser concretizada com a real participação e envolvimento dos eleitos locais e das populações”. A moção que vão sujeitar à votação na sexta-feira pretende devolver às populações e órgãos autárquicos a decisão e apelar aos grupos parlamentares na Assembleia da República que tomem as medidas legislativas necessárias à reanálise da reorganização administrativa do território.

De entre as quatro localidades da União de Freguesias, Guisande foi a única, até agora, que desencadeou uma petição que reuniu o número de assinaturas necessário para levar o assunto ao Parlamento.

Esta segunda-feira, representantes de Pigeiros, Vale e Guisande dão uma conferência de imprensa ao final da tarde, onde vão explicar os próximos passos do processo que encetaram e que na terça-feira compreende uma deslocação à Assembleia da República para procederem à entrega formal das respetivas petições nos serviços do Parlamento.

 

Imagem: DR


Palavras-chave: , , , ,

Concelhos - Junho 9, 2018

Relacionados

Pigeiros, Vale e Guizande apresentam petição pela reposição da freguesia no Parlamento

É já no dia 12 que os mentores da reposição da freguesia de Pigeiros, agregada a Caldas de São Jorge na reorganização administrativa do território do anterior governo, apresentam na Assembleia da República uma petição com 4.150 assinaturas com o objetivo de ver o assunto discutido no hemiciclo. A deslocação a Lisboa sai reforçada com […]