Governo corta 16 mil euros ao Cinanima e a Câmara de Espinho escreve aos ministros da Cultura e da Educação

pub

 

A redução do financiamento do ICA – Instituto do Cinema e do Audiovisual para a realização das próximas edições do Cinanima – Festival Internacional de Cinema de Animação de Espinho, concretamente para o triénio de 2018 a 2020, “prejudica a realização e a qualidade das próximas edições do festival”. Esta é a visão da Câmara de Espinho, que coorganiza o evento com a Cooperativa Nascente, que não tardou a escrever aos ministros da Cultura e da Educação.

A autarquia quer que o financiamento ao Cinanima seja revisto e alterado e reclama a possibilidade e a viabilidade de recurso à utilização do Fundo de Fomento Cultural. E na carta ao ministro da Educação, pede a reapreciação da candidatura de um professor à mobilidade de forma a assegurar o serviço educativo do festival de cinema de animação.

“A não renovação da mobilidade no presente ano letivo representa uma forte limitação ao desenvolvimento de ações do Serviço Educativo do Festival, designadamente no Projeto Crianças nas escolas de Espinho, realização de pequenos filmes, dinamização do Festival Júnior, ações de formação para professores entre outras atividades”, adianta. A câmara formalizou prometeu formalizar, ainda durante este mês de maio, uma nova candidatura depois de ter sido feito um pedido de reapreciação da decisão à Direção-Geral da Ação Escolar que ficou sem resposta.

“A situação criada prejudica o excelente trabalho que vinha a ser desenvolvido com os alunos do 1.º ciclo das escolas do concelho de Espinho no âmbito de um projeto de educação comprovadamente apelativo e criativo na relação das crianças com o mundo do cinema em todas as suas vertentes”, sublinha.

Na carta enviada ao ministro da Cultura, a autarquia espinhense refere que este corte é uma “situação inesperada e muito penalizadora para o Festival”. “E nem mesmo a apresentação de uma reclamação fundamentada levou à alteração do financiamento atribuído, situação que não compreendemos já que o Festival tem vindo a crescer, quer em filmes participantes, especialistas desta vertente cinematográfica, público e novos projetos, com uma atividade muito forte ao nível pedagógico e formativo, trabalho que tem sido desenvolvido com as escolas e universidades”, lê-se na carta endereçada ao governante.

A câmara realça as virtudes do Cinanima e espera que o financiamento seja revista já nas próximas edições. E pede outra atenção para o festival que se realiza no Centro Multimeios de Espinho. “Apesar do relatório da atividade do Cinanima do ano anterior ser muito claro nos excelentes resultados obtidos, pensamos que existe uma desvalorização, que não é de agora, de aspetos muito significativos e diferenciadores do modelo de Festival do Cinanima em relação a outros festivais, que não faz qualquer sentido, e estamos em crer que há por parte do ICA algum tipo de menorização do cinema de animação no contexto dos festivais de cinema, facto de que a acontecer muito lamentamos”, escreve.


Palavras-chave: , , , ,

- Maio 30, 2018

Relacionados

Chef Hélio Loureiro ensina pais e alunos de Maceda a preparar “Lambarices de Natal”

O conhecido Chef Hélio Loureiro estará esta quinta-feira, a partir das 18h30, na Escola Básica da Estrada, em Maceda, para participar num Showcooking de “Lambarices de Natal”, promovido pela Câmara Municipal de Ovar e dirigido aos pais e encarregados de educação. O Natal junta a família à mesa e a criatividade na cozinha pode fazer […]

Moradores e autarcas contestam retirada da Praia de Paramos quando “Etar é primeira casa em risco”

A população da Praia de Paramos, que acorreu em grande número ao centro Multimeios para se esclarecer sobre o Programa da Orla Costeira Caminha-Espinho, que prevê a demolição e o realojamento de uma parte do bairro piscatório não saiu convencida com os esclarecimentos da Agência Portuguesa do Ambiente que acedeu ao desafio lançado pelo presidente […]

Técnicos da APA explicam POC esta segunda-feira em Espinho

A demolição do bairro da Praia de Paramos e outras medidas no âmbito do Programa da Orla Costeira Caminha-Espinho, em fase de consulta pública, voltarão às primeiras linhas da atualidade em Espinho, com a realização, esta segunda-feira, às 21h00, de uma sessão pública de esclarecimento no Centro Multimeios, naquela cidade. A iniciativa é da Câmara […]