Jogar futebol a caminhar é o novo desporto para os mais velhos de Santa Maria da Feira

pub

Chama-se Walking Football, em português futebol a caminhar, e é uma modalidade recente ajustada aos mais velhos. Tem regras bem definidas que reduzem os riscos e o desgaste físico de um jogo de futebol convencional. Não é permitido o contacto físico, nem correr, apenas caminhar.

Jogar futebol a caminhar é, assim, uma alternativa para quem sofre de patologias que tenham contra-indicações para a prática de uma atividade física de impacto e de intensidade vigorosa. Vários estudos demonstram os benefícios desta modalidade em indicadores como a pressão arterial média, a diminuição do peso, e a percentagem de massa gorda.

A Câmara de Santa Maria da Feira vai lançar a modalidade desportiva para os seniores do concelho, integrada no Programa Movimento e Bem-Estar. Este futebol a caminhar conquista cada vez mais adeptos na Europa e está a dar os primeiros passos em Portugal. Em Santa Maria da Feira, a modalidade será dinamizada, numa primeira fase, entre maio e julho deste ano, no Pavilhão Municipal de São João de Ver e no Pavilhão Gimnodesportivo de Canedo.

No ano passado, no âmbito do Programa Movimento e Bem-Estar, foram realizados treinos e sessões de sensibilização e jogos de demonstração de Walking Football nas Olimpíadas Seniores de Santa Maria da Feira e nos Jogos de Natal, onde se registou um número significativo de interessados na prática desta modalidade.

O Walking Football complementa, desta forma, o programa municipal de envelhecimento ativo que a Câmara de Santa Maria da Feira desenvolve junto da comunidade sénior do concelho desde 2000, envolvendo atualmente 1900 seniores, maioritariamente do sexo feminino, através de 48 entidades feirenses. A expetativa é que esta modalidade possa também mobilizar mais idosos do sexo masculino para a prática regular de uma atividade física.

Por outro lado, a autarquia alargou o ensino da Música para seniores, no âmbito do projeto Aprender a Tocar um Instrumento – Class Band, com a criação de um novo polo na sede da Banda de Música de São Miguel de Souto (União de Freguesias de São Miguel do Souto e Mosteirô), onde terão lugar as aulas semanais e os ensaios. Esta atividade proporciona aos seniores conhecimentos básicos de música, de forma tranquila e à medida das suas capacidades, bem como a aprendizagem de um instrumento de orquestra. Aos 35 idosos que já usufruíam desta atividade musical na Tuna Musical Mozelense, juntam-se agora novos participantes.

O Programa Movimento e Bem-Estar promove várias atividades: ginástica de manutenção, hidroginástica, boccia, caminhadas temáticas, matinés dançantes, ensino de dança, comemorações do Dia Mundial da Saúde, Olimpíadas Seniores, Jogos de Natal e Jogos de Páscoa Intergeracionais, Class Band e Walking Football.

Com o envolvimento e participação dos seniores nestas atividades, fundamentais para a promoção de um envelhecimento saudável, a câmara feirense tem proporcionado aos idosos momentos de convívio e bem-estar, combatendo o isolamento e a solidão, e promovendo a manutenção da saúde e o retardamento da dependência.


Palavras-chave: , , , , , , , ,

- Maio 12, 2018

Relacionados

Câmara sugere sessões de esclarecimento em vez de cartas “frias” da Indaqua

A Câmara de Santa Maria da Feira vai abordar a Indaqua, concessionária dos serviços de água e saneamento no Concelho, no sentido de estabelecer uma parceria para a divulgação e o esclarecimento da população sobre a obrigatoriedade das ligações às redes de água e saneamento. A concessionária tem vindo a remeter cartas aos munícipes focando […]

19 candidatos a fazer arte urbana em parques de lazer e de habitação social

Terminou o prazo para apresentação de propostas ao concurso Urbanidades do Eixo que convocou jovens com menos de 30 anos da Eurorregião do Norte de Portugal e da Galiza, de diferentes domínios da arte urbana, para intervirem em espaços públicos do concelho de Santa Maria da Feira e o vereador da Cultura do Município não […]

Pavilhão de Mozelos tinha prazo de conclusão de 400 dias e já leva 200 de derrapagem

Em Mozelos, diz-se que é uma obra de Mafra. O caderno de encargos previa que o pavilhão municipal, no lugar do Murado, levasse 400 dias a ser erguido e colocado à disposição da comunidade. De prorrogação em prorrogação de prazo, solicitadas pelo empreiteiro e concedidas graciosamente pela Câmara Municipal, aos 400 dias já se somaram […]